Palácio Linderhof: história, interior, jardins e dicas para sua visita

O Palácio Linderhof era o refúgio preferido do Rei Ludwig II da Baviera, também conhecido por ser o “rei dos contos de fadas” ou o “rei louco”.

O palácio fica bem próximo à cidade de Ettal e também de Oberammergau, no vale de Graswang. Como o objetivo de Ludwig era se isolar do mundo, o Linderhof fica em uma região bem retirada (dentro de um parque, aos pés dos Alpes), que é simplesmente linda de viver! <3

Palácio Linderhof visto do alto, a partir do Templo de Vênus.
Palácio Linderhof visto do alto, a partir do Templo de Vênus.
Além do Linderhof, Ludwig II também construiu o famoso Castelo Neuschwanstein, nos Alpes alemães, e o lindíssimo Palácio Herrenchiemsee, localizada na ilha Herrenwörth, no lago Chiemsee. Mas o Linderhof foi a única obra completa do rei. Suas outras duas grandes construções não foram acabados antes da morte prematura (e misteriosa) de Ludwig II, aos 40 anos.

O magnífico interior Palácio Linderhof

Quem visita o Linderhof hoje não imagina que ele já foi uma cabana de caça do Rei Maximilian II, pai de Ludwig II.

A ideia de construir o Linderhof surgiu a partir de uma viagem de Ludwig II à França em 1867. Ele admirava tudo relacionado ao Rei Luis XIV e quis fazer um monumento em sua homenagem. Não é à toa que logo na entrada do palácio encontre-se, bem no centro, uma estátua de Luís XIV, assim como inúmeras outras referências ao rei absolutista nos demais cômodos (inclusive a uma de suas amantes).

As dependências do palácio são exuberantemente decoradas no estilo rococó. É impressionante reparar na riqueza de detalhes nas tapeçarias, pinturas, móveis, porcelanas, lustres…

Mais do que apenas beleza, o palácio Linderhof reserva algumas curiosidades!

A mesa da sala de refeições, por exemplo, ficava sobre uma espécie de elevador. Na hora das refeições, os criados a baixavam até o nível da cozinha para servir a comida. Em seguida, ela era novamente elevada ao nível da sala para que o rei pudesse fazer a sua refeição só.

Salão dos Espelhos do Palácio Linderhof
O Salão dos Espelhos – © Bayerische Schlösserverwaltung www.schlosslinderhof.de

Um dos cômodos mais impressionantes é a Sala dos Espelhos!

Nela, os espelhos frente a frente com molduras folheadas a ouro, criam uma ilusão de espaço infinito. Além disso, refletem a luz do candelabro de cristal e do lustre entalhado em marfim.

O quarto do rei, que é o maior cômodo do palácio, conta com muito ouro e detalhes em veludo na cor azul real, que era a preferida de Ludwig II. Sobre a cama, há um brasão da Baviera, uma das poucas referências à família real bávara, já que quase tudo dentro do Linderhof remete à França. O candelabro em cristal com 108 velas é impressionantemente lindo!

O quarto real do Palácio Linderhof
O quarto real do Palácio – © Bayerische Schlösserverwaltung www.schlosslinderhof.de
O pavão, um dos animais mais admirados por Ludwig II, é representado em tamanho real em alguns cômodos do palácio através de estátuas de porcelana fabricadas na França. Já no Castelo Neuschwanstein, Ludwig tem dois cisnes em porcelana, que também eram animais muito queridos pelo rei.

Os Jardins e o Parque do Palácio Linderhof

Além dos belíssimos jardins em estilo francês que circundam o prédio do Palácio Linderhof, existe um parque em estilo inglês que ocupa 80 hectares e faz parte do complexo do palácio.

Os jardins que circundam o prédio do palácio
Os jardins que circundam o prédio do palácio

Logo à frente da entrada principal, destaca-se a fonte com a estátua dourada da deusa Flora.

A fonte principal do palácio é ligada a cada 30 minutos, normalmente entre o meio de abril ao meio de outubro, entre as 9h e 18h.

Atrás dela, vários patamares e fontes conduzem à estátua de Vênus em uma construção circular bem à frente das montanhas alpinas. Nas laterais e no fundo do palácio, há também lindos jardins e fontes.

O jardim principal e o Templo de Vênus
O jardim principal e o Templo de Vênus

No parque, há algumas duas construções bem exóticas para um palácio localizado nos Alpes alemãs: um quiosque mouro com lindos vitrais, adquirido da região da Boêmia em 1876 e uma casa marroquina, adquirida por Ludwig II na Feira Mundial em Paris em 1878.

Quiosque Mouro e Casa Marroquina dentro do parque do Palácio Linderhof
Quiosque Mouro e Casa Marroquina

No parque há também a Gruta de Vênus (que está fechada devido à restauração até 2022).

Ela é repleta de estalactites e estalagmites. Dentro dela, foi reproduzido o cenário da ópera Tannhäuser, de Richard Wagner, a quem Ludwig admirava enormemente. Lá existe um lago artificial, iluminação subaquática, movimento da água produzido artificialmente – tudo isso para alimentar o universo de sonhos de Ludwig II, o mundo paralelo em que desejava, de fato, viver. Incrível!

Uma das atividades preferidas de Ludwig II era passear de trenó à noite pelas montanhas nos arredores do Linderhof. Vários dos trenós encomendados e utilizados por Ludwig II estão expostos no Museu das Carruagens do Palácio Nymphenburg, em Munique. Aliás, sabia que foi neste palácio da capital bávara onde Ludwig II nasceu?

Como visitar o Palácio Linderhof partir de Munique

É perfeitamente viável conhecer o Palácio Linderhof em um bate-volta saindo de Munique.

É um passeio de dia todo que vale muito a pena, não apenas pela riqueza arquitetônica e história fascinante do palácio e de seu idealizados, mas também pela beleza natural que está a todo tempo presente em uma das regiões mais lindas da Alemanha.

Tour ao Palácio Linderhof com guia brasileira
Nós levamos você, durante todo o ano, a este lugar mágico, em um passeio privativo com guia brasileira, que buscará você e seu grupo no hotel, no centro de Munique, e tomará todas as providências para tornar este passeio inesquecível – incluindo compra de ingressos e passagens de trem. Para mais informações, entre em contato, e teremos muito prazer em lhe enviar todos os detalhes deste e de todos os outros passeios que fazemos em Munique e na região da Baviera.

Quando visitar

O Linderhof fica aberto ao longo de todo o ano, com exceção dos dias 1º de janeiro, terça-feira de Carnaval e os dias 24, 25, 26 e 31 de dezembro.

A visita ao palácio só é possível através de um tour guiado, que dura cerca de 25 minutos. Os tours guiados acontecem em inglês e alemão, mas é possível pedir um texto em outras línguas (incluindo espanhol) para acompanhar a visita em outro idioma.

As demais construções que fazem parte do complexo  do palácio, assim como seu parque e jardins, podem ser visitados livremente. Vale lembrar que, no inverno, essas construções ficam fechadas, sendo possível apenas a visita ao palácio.

Mais informações
Site oficial do Palácio Linderhof

Linderhof e ao Neuschwanstein no mesmo dia: vale a pena?

Eu acho que os castelos do Rei Ludwig II merecem ser vistos com calma. Além da beleza arquitetônica, a natureza em seu entorno precisa ser explorada com calma.

Muita gente que entra em contato conosco dizendo que deseja visitar o Palácio Linderhof e o Castelo Neuschwanstein no mesmo dia.

Mas eu sou sempre a favor da qualidade em detrimento da quantidade: por isso, aconselho fortemente a reservar um dia para cada castelo para evitar correrias e aproveitar ao máximo o passeio. Se possível, visite também o Palácio Herrenchiemsee, a terceira grande obra de Ludwig II, que também se localiza na Baviera e, na minha opinião, tem o interior mais belo dos três castelos.

Sobre Márcia Oliveira 117 Artigos
Márcia Oliveira é uma carioca completamente apaixonada por viagens. Atualmente mora em Munique, na Alemanha, onde trabalha como guia de turismo para brasileiros. É formada em jornalismo, tem paixão por fotografia e tecnologia. Ama a família e os animais. Aprecia as coisas simples da vida. E adora escrever no blog e receber mensagens dos leitores!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*