Compras na Alemanha: dicas sobre trocas, sacolas e pagamento

Se você pretende fazer compras em lojas ou supermercados da Alemanha, vale a pena ficar atento a essas dicas!

1) Guarde sempre a nota fiscal

Nunca jogue a nota fiscal de suas compras fora até ter certeza de que irá realmente ficar com o produto! Isso é algo que eu aprendi logo que cheguei à Alemanha, quando tentei trocar na Zara uma camisa que dei de presente e que ficou pequena na pessoa. A sorte é que voltei pra casa e achei a nota toda amassada na lixeira de papeis do escritório. Em seguida, voltei à loja e fiz a troca. Ufa…

Ao contrário do Brasil, em que a etiqueta da loja presa ao produto é suficiente para trocá-lo na maior parte das lojas, aqui a nota fiscal é imprescindível, mesmo que o produto tenha todos os indícios de que não foi utilizado e de que foi adquirido naquele estabelecimento. E isso vale também para presentes que você recebeu!

Em um outro caso em que perdi a nota de compra, imprimi o comprovante do cartão de débito que mostravam a data da compra, o valor e o nome do estabelecimento. Levei o comprovante à loja (desta vez foi a Esprit) junto à peça de roupa com a etiqueta afixada, e, depois de algum custo, consegui efetivar a troca. Mas vale dizer que isso aconteceu na base da boa vontade, o que é raro por aqui. Quando as regras existem, a flexibilidade tende a ser zero!

2) Você pode devolver o produto, se desejar

Uma das coisas que menos gosto ao comprar roupas é ter que experimentá-las… Entrar na fila do provador, tirar a roupa que estou vestindo, provar a outra, vestir novamente minha roupa… Acho tudo isso muito chato! E, é claro, isso pode causar problemas, porque nem sempre acerto o tamanho, gosto do caimento, percebo detalhes que às vezes não me agradam…

Mas a bota notícia é que aqui na Alemanha (e em vários outros países da Europa), as lojas são minhas grandes aliadas neste ponto: elas permitem que você devolva o produto e receba o dinheiro de volta. E o bom é que isso acontece sem muitos questionamentos. Basta dizer que o produto não vestiu bem ou que você se arrependeu da compra que está tudo resolvido.

3) Ande com uma sacola extra na bolsa

Os alemães têm uma consciência ecológica muito forte, e isso é bem bacana, porque é algo realmente difundido na sociedade.

Nos supermercados, por exemplo, não existe aquela de pegar quantas sacolas quiser (e às vezes até colocar uma na outra, como eu costumava fazer no supermercado do Rio para dar um reforço nas sacolas). Aqui na Alemanha, se você desejar uma sacola plástica no supermercado, deverá passá-la no caixa junto com os produtos. Ou seja, você deverá pagar por ela.

Diante disso, o que normalmente acontece é que as pessoas já levam sacolas ecológicas para carregar as compras até em casa. Agora, já tenho um estoque delas e também um carrinho com rodinhas para as compras maiores. E sabe de uma coisa? Pensando bem, considero um absurdo a quantidade de sacolas plásticas que usamos (e desperdiçamos) no Brasil. Tudo bem que muitas delas são reutilizadas. Mas, quando morava no Brasil, eu tinha tanta sacola em casa, que não tinha mais onde guardá-las… Aqui na Alemanha, o meu estoque de sacolas é bem mais restrito.

Vale dizer que não só os supermercados têm essa política de sacolas plásticas. Algumas lojas também cobram por elas ou, pelo menos, evitam usá-las. Hoje, por exemplo, fiz uma compra na H&M e já estava com uma sacola da C&A semi-vazia em mãos. A moça do caixa da H&M me perguntou se eu realmente precisava da sacola da loja, e eu disse que não, porque realmente não havia necessidade. E realmente não fez diferença alguma ter uma sacola a menos!

4) Formas de pagamento

A maior parte das grandes lojas aceita formas de pagamento como cartão de crédito, débito e dinheiro. Mas há ainda algumas lojas que têm restrições neste sentido. A gigante Ikea, por exemplo, só aceita pagamento em dinheiro, cartão de crédito ou no cartão da loja nos pontos de venda físicos (cartões Visa, Amex ou Mastercard, nem pensar!).

Enfim, o que eu quero dizer é que vale sempre a pena andar com uma quantidade de dinheiro na carteira para evitar aquela situação de “quero comprar mas não tenho como pagar”.

Eu, particularmente, não tinha o hábito de andar com dinheiro na carteira no Brasil e pagava 99% das compras com cartão de débito ou crédito. Aqui estou tendo que me adaptar e sempre levar algum dinheirinho na bolsa.

Sobre Márcia Oliveira 80 Artigos

Márcia Oliveira é uma carioca completamente apaixonada por viagens. Atualmente mora em Munique, na Alemanha, onde trabalha como guia de turismo para brasileiros. É formada em jornalismo, tem paixão por fotografia e tecnologia. Ama a família e os animais. Aprecia as coisas simples da vida. E adora escrever no blog e receber mensagens dos leitores!

2 Comentário

  1. Legal seu texto! uma dúvida que tenho é no supermercado, por que perguntam se queremos o cupom fiscal? Tem alguma utilidade para alguém se não pegamos o cupom? Porque no Brasil podemos deixar o cupom para uma instituição de caridade!
    Obrigada

    • Obrigada pelo feedback, Tatiana! Que eu saiba não existe essa possibilidade na Alemanha. Eles perguntam provavelmente para economizar o papel da impressora da nota fiscal – hehehehehe. Mas acho que sempre vale a pena pegar a nota nos supermercados não só pela questão da troca, mas também porque esses comprovantes costumam vir com cupons de desconto para as próximas compras. Um abraço!

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*